terça-feira, 3 de novembro de 2020

WEBBINAR "Redes sociais: cair nelas como um peixe-vermelho ou navegá-las de bússola na mão?"

Através de miniconferências ancoradas no universo da não-ficção, Sara Pereira e Joana Fillol procuram apresentar o mundo e os seus discursos ao público mais jovem.
Como muitas coisas na vida, também as redes sociais não são boas nem más: tudo depende do uso que delas se faça. Num teatro que tem o nome do poeta que melhor narrou a expansão portuguesa, o mar serve de metáfora para falar sobre espaços como o TikTok, o Facebook ou o Instagram.

Como queremos navegar nestas plataformas, verdadeiros oceanos de informação? Deixamo-nos apanhar pelos tubarões que mandam nestas redes? Ou, pelo contrário, somos os pescadores que aprendemos a lançá-las?
Há quem diga que vivemos hoje na civilização do peixe-vermelho por, tal como ele, não conseguirmos fixar a nossa atenção por mais do que nove segundos. A culpa, diz-se, é das plataformas digitais que fazem tudo para nos manterem ligados aos ecrãs e provocarem a nossa dependência. Afinal, é com a nossa atenção que os “tubarões” se alimentam: quanto mais tempo passamos ligados, mais eles conseguem vender publicidade e compilar dados sobre nós.
Saber como as redes funcionam, o que fazem para nos aliciar, é meio caminho andado para não nos deixarmos manipular e tirarmos o máximo proveito delas. Para a nossa vida pessoal, mas também para a vida da sociedade.
O conhecimento não é só poder: é uma bússola que não nos deixa andar ao sabor do vento. Vamos saber mais sobre redes sociais?
Dia 29 de outubro, às 10h30, com Joana Fillol, na EB Cataventos da Paz

Joana Fillol é jornalista e estudante de doutoramento em Ciências da Comunicação no Centro de Estudo de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, ao abrigo de uma bolsa da Fundação para a Ciência e Tecnologia. A sua pesquisa centra-se na relação entre crianças, jovens e notícias. Trabalhou vários anos na imprensa escrita e, em 2015, fundou um sítio de informação noticiosa para crianças e jovens (jornalissimo.com)."

Sara Pereira é professora no Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho e investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. Investiga há vários anos sobre os media e as crianças e a Literacia Mediática. É cocoordenadora do Observatório sobre Media, Informação e Literacia – milobs.pt – e coautora do “Ouvido Crítico”, um programa radiofónico de Educação para os Media emitido na Antena 1.
Saiba mais em...
Dos alunos:  Frases...Resumir o Webinar


“Não fiques demasiado tempo nas redes sociais para não virares um peixe vermelho” 
Simão Furtado
“Cuidado com o que pesquisas na internet.” 
Isaac Amaro
“É melhor jogar a saber as regras do que jogar e cair por completo” 
Gonçalo Vidal
“Quando estamos muito tempo nas redes sociais perdemos a vida que nos rodeia.” 
Ana Pereira
“Não te deixes levar pela fama das redes sociais.” 
Santiago Macedo
“Não acredites demais na internet.” 
Anselmo Mota
“A internet é perigosa é preciso muito cuidado.” 
Bianca Jesus
“Não fiques muito tempo em frente ao ecrã vai aproveitar o tempo.” 
Carlos Alves
“Não ceder ao cyberbullying nem à chantagem. Denuncia!” 
Laura Caritas
“As redes sociais são um perigo muito grande quando não são controladas.” 
Jéssica Andrade
“Não fiques demasiado tempo no telemóvel ou não vais ver o belo mundo lá fora.” 
Martim Silva
“Não faças coisas que não queres que te aconteçam.” 
Ema Fialho
“Tem cuidado com as aplicações porque podes ser controlado e ficar dependente” 
Bianca Venturinha
“Tens que ter cuidado com estranhos e não falar com quem não conheces nas redes sociais.” 
Alexandra Faria
“Há detalhes bons e detalhes maus mas não te agarres à internet.” 
Solange Coelho
“A internet tem tanto de bem como de mal.” 
Leonor Santana
“Não fiques no telemóvel e aproveita o tempo.” 
Inês Malafaia
“Não te deixes controlar pelas redes sociais.” 
Alexandre Heitor
“Cuidado com o poder das redes sociais.” 
Margarida Salvador
“Na internet é importante não cometer erros nem caias neles.” 
Pedro Pinto
“Não acredites em tudo o que encontras nas redes sociais.” 
Gonçalo Loureiro

Sem comentários:

Publicar um comentário