sexta-feira, 16 de setembro de 2022

BE da ESEN com novo visual - o contributo da Assistente da Biblioteca



Na preparação deste ano letivo, contámos, mais uma vez, com a colaboração da assistente de biblioteca Isabel Santos para reorganizar o espaço da biblioteca.


Voltámos a assegurar o livre acesso a toda a coleção eliminando barreiras físicas, retirando sinalética de percursos, rearrumando a coleção e modificando a sinalética.
Será um recomeço da Biblioteca com um novo visual, uma nova a arrumação, alguns destaques e uma nova decoração.

Esperemos que gostes!

quarta-feira, 14 de setembro de 2022

Estamos de volta para vos acolher


Bom ano letivo a todos, com muitas leitura e várias surpresas!

Alteração email Bibliotecas Escolares AEEN


Devido à reorganização dos endereços de email no Agrupamento de Escolas Emídio Navarro (AEEN), para assuntos relacionados com as Bibliotecas Escolares,
a equipa de professores bibliotecários solicita a utilização do seguinte:


 


Com a nossa página da internet em remodelação, em breve divulgaremos endereços específicos para cada uma das nossas seis bibliotecas escolares, bem como para as redes sociais que gerimos ou partilhamos.

Pedro Campos
Professor bibliotecário coordenador
Bibliotecas Escolares do AE Emídio Navarro
          Av. Rainha D. Leonor 
         2809-009 Almada
        Tel. 212721210

sexta-feira, 22 de julho de 2022

Boas férias!


Com votos de Boas Férias, partilhamos um vídeo que sintetiza uma parte significativa da atividade desenvolvida na Escola D. António da Costa pela Professora Bibliotecária, pelas Assistentes de Biblioteca e pelos professores e alunos, em mais de um milhar, que participaram em inúmeras sessões de leitura. A todos agradecemos a inestimável presença.

Em setembro, cá vos esperamos. Boas leituras!

Vice-Presidente Câmara de Almada escuta Professores bibliotecários

Com a presença da vice-presidente da Câmara Municipal de Almada, Drª Maria Teodolinda Silveira, decorreu esta quinta-feira, 21 de julho de 2022, uma reunião extraordinária do Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares, com o propósito de cada Professor Bibliotecário do concelho mostrar à autarquia, em tempo record, as realidades das bibliotecas escolares que gerem no quotidiano.


As prestações foram diversas, tendo sido precedidas de uma apresentação da Biblioteca Municipal (na foto em baixo), que constitui uma rede de trabalho com as BE do concelho e com a qual mensalmente os professores bibliotecários reúnem, sob presidência de um membro daquela instituição e do Coordenador Interconcelhio das Bibliotecas Escolares, Dr. João Paulo Proença, que presidiu também à reunião de ontem.

Da robótica ao bookcrossing, passando pela articulação com os Planos Nacionais de Leitura, de Cinema e de Artes, com incursões pelas áreas da leitura, da ciência, da cidadania... várias foram, de facto, as atividades e os projetos partilhados pelos 14 Agrupamentos de Escola ou escolas não agrupadas presentes ou representadas na sessão, que teve lugar na Escola Básica e Secundária Ruy Luís Gomes, no Laranjeiro.   

No início, fomos agradavelmente surpreendidos pela partilha de uma experiência didática por uma professora do Agrupamento de Escolas Ruy Luís Gomes: um "Sussurrofone", telefone terapêutico pedagógico para trabalhar a dicção e o tom de voz na leitura, feito apenas a partir de dois cotovelos  de canalização de cozinha em PVC. Curioso!

Da reunião com a autarquia, na qual esteve também presente a Chefe de Divisão de Bibliotecas Municipais de Almada, saiu o compromisso de dar continuidade ao diálogo, com vista à construção de pontes e de soluções para algumas das dificuldades apontadas, mormente a obsolescência do parque informático das escolas / bibliotecas escolares e a ausência de funcionários, Assistentes de Biblioteca, nas unidades do 1º ciclo. 

terça-feira, 12 de julho de 2022

Alto lá, 1ºA EB Almada! Vem aí o Cuquedo


 
Sessão de leitura com fantoches em maio de 2022 na Biblioteca Escolar

O Cuquedo, de Clara Cunha, ilustrado por Paulo Galindro

Participação das crianças aqui.

Turma: 1º A da Escola Básica de Almada / Profª titular: Selene Fernandes

Fantoches: Senhorinha Salsinha, Assistente de Biblioteca na Escola D. António da Costa (EDAC)

Dinamização, produção e edição de vídeos: Professora Bibliotecária Carla Crespo

Local: Biblioteca da Escola Básica de Almada


segunda-feira, 4 de julho de 2022

Assistentes de Biblioteca - documento orientador

 Congratulamo-nos com a publicação, pela Rede de Bibliotecas Escolares, de um documento orientador das funções e competências dos funcionários que diariamente coadjuvam os professores bibliotecários. Qual o seu perfil? Que formação possuem ou de que formação necessitam?


O documento, claro, sintético e de fácil leitura, intitulado "Assistente de Biblioteca Escolar", como doravante serão designados os assistentes operacionais e os assistentes técnicos com funções nas BE, pode ser acedido aqui.     
 

Revista dedicada a Assistentes de Biblioteca Escolar

Partilhamos a publicação da Revista digital Flipboard sobre as Bibliotecas Escolares de Almada que, no seu número 6, é dedicada aos Assistentes de Biblioteca, profissionais imprescindíveis no quotidiano destas estruturas intermédias das escolas, em articulação com os professores bibliotecários.


Destacamos, como não poderia deixar de ser, os artigos que espelham diretamente as boas práticas no Agrupamento de Escolas Emídio Navarro, num texto escrito pela professora Sara Cacela, a propósito da Assistente de Biblioteca Isabel Santos(ESEN) e num tributo às Assistentes de Biblioteca Senhorinha Salsinha e Deolinda Costa, redigido pela professora Carla Crespo (EDAC).   


quinta-feira, 23 de junho de 2022

Novo diretor apresenta-se aos Assistentes Operacionais - EDAC

O recém-indigitado diretor do Agrupamento de Escolas Emídio Navarro apresentou-se hoje aos Assistentes Operacionais da Escola D. António da Costa (EDAC), à semelhança do que fizera  junto do pessoal não docente da escola sede. 



O convívio aconteceu na Biblioteca Escolar da EDAC, que em poucas horas se engalanou, para dar as boas vindas ao professor Manuel Além, destacando num mural florido e em pequenos cartões, entregues a cada um, algumas palavras da sua apresentação formal, enviada a toda a comunidade educativa e que aqui reproduzimos:      


"...só uma cultura de respeito, responsabilidade, competência, rigor, confiança, integridade, compreensão e justiça, contando com a colaboração e cooperação, abraçada por todos os profissionais do agrupamento, permitirá que o AEEN contribua para a melhoria dos desempenhos, promovendo o sucesso dos alunos, para que se tornem bons cidadãos, mas também pessoas realizadas e felizes".



Desejamos que as palavras do Diretor se cumpram, com sucesso, ao longo do quadriénio que ora inicia.  



Formação Livro objeto em Vale Rosal


Os livros são objetos para serem lidos, mas também vistos, tocados e apreciados pelas suas texturas, imagens e cores, assim como pelas dimensões e pelos formatos diversos que vão assumindo no mundo editorial.



A esse propósito, Sandra Surgy,  contadora de histórias, ilustradora, professora bibliotecária (PB) e de Artes Visuais, promoveu e dinamizou um workshop sobre este tema, que decorreu hoje na Biblioteca da Escola Básica Integrada Vale Rosal, na Charneca de Caparica.

O desafio foi lançado aos PB do concelho de Almada e aberto a todos quantos se interessassem pela arte de construir um livro em três dimensões a partir de folhas de papel, cartolinas, dobragens, cortes e recortes.

 


A equipa da Biblioteca da Escola D. António da Costa, em Almada, constituída pela PB Carla Crespo e pelas duas Assistentes de Biblioteca, Senhorinha Salsinha e Deolinda Costa (na foto em baixo), aprontou-se. 



A formadora começou por nos mostrar livros com diferentes aspetos, como um "Monstruário", um livro em formato de sardinha, outros em pop-up, para além de alguns por si mesma ilustrados. 






Livro ilustrado por Sandra Surgy

Ilustração de Sandra Surgy, in Empresta-me um sonho



Depois, foi altura de os mais habilidosos se lançarem à construção de pequenos objetos, monitorizados pela formadora, que a todos foi acompanhando com muito entusiasmo, destreza e simpatia. 


Sandra Surgy, professora e ilustradora

As Assistentes de Biblioteca da EDAC muito apreciaram a experiência (ou não fossem já artistas, habituadas à motricidade fina e à criatividade!) e todas esperamos que situações desta natureza, de formação informal, se reproduzam, pois a todos enriquecem e terão certamente repercussão no quotidiano das nossas escolas e das nossas Bibliotecas Escolares.

Obrigada, colega Sandra Surgy, pela disponibilidade e pela partilha profissional. 

quinta-feira, 9 de junho de 2022

Projeto "A LER É QUE A GENTE SE ENTENDE"


No dia 7 de junho, na casa da Cerca, aconteceu o encontro entre as turmas envolvidas no Projeto "A Ler é que a gente se entende" que interagiram na leitura da obra  Se Isto É Um Homem, de Primo Levi.

_________________________________________


"Durante um semestre os alunos do nosso Agrupamento leram, com alunos de outra turma, do Agrupamento de Escolas de Alpiarça, José Relvas, a obra de Primo Levi, Se Isto É Um Homem

Sem se conhecerem, semanalmente, os alunos leram um capítulo e trocaram entre si reflexões sobre o texto e sobre a relação do texto com o mundo. 
Finalmente no dia 7 de junho, último dia de aulas, os nossos alunos do 11.º LH e os do 12.º LH da outra escola conheceram-se, direta e pessoalmente e, para além de se conhecerem, visitaram as 4 exposições que estão na Casa da Cerca e ouviram, no auditório, uma palestra proferida pelo Dr. Ricardo Presumido sobre o "Holocausto". 

Foram ao jardim da leitura, por serem bons leitores. 

Afinal, como dizia a Virgínia Woolf se o (jardim) paraíso existir ele será certamente uma biblioteca."

                             Isabel Santiago 
                                 | Professora promotora do projeto na ESEN

terça-feira, 7 de junho de 2022

Entrega de Prémios - Escrita Criativa para Famílias

Decorreu com muita alegria a Cerimónia de Entrega de Prémios do Concurso de Escrita Criativa para Famílias, dinamizado pela Câmara Municipal de Almada no âmbito do Plano de Leitura Local, no dia 2 de junho, na Biblioteca Central de Almada, Sala Pablo Neruda. Este concurso conta, também, com a dinamização das Bibliotecas Escolares do concelho e a coordenação concelhia da Rede de Bibliotecas Escolares. 

Recordamos a excelente participação dos alunos do nosso Agrupamento e suas famílias. 

MUITOS PARABÉNS!!

1º Escalão (Pré-Escolar) 

- “A Princesa e o Gato”, de Maria D.B., sob o pseudónimo de “Mia Ralfes”, do Jardim de Infância de Almada, Pré-escolar, Grupo 3.


2º Escalão (1º e 2º Anos) 

- “O Monstro Boba”, de Clara S.R., sob o pseudónimo de “Adriana Luzinha” 

   Escola Básica nº 3 Cova da Piedade, 1º ano, turma A.

 

3º Escalão (3º e 4º Anos) 

- “Ariel”, de Ema S.R., sob o pseudónimo de “Vasco Amor” 

    Escola Básica da Cova da Piedade, 4º ano, turma A.


- “Cassilda, a Borboleta e Alberto, o Verme”, de Alice N.M., sob o pseudónimo de    “Dimitri Lopez”   

  Escola Básica da Cova da Piedade, 4º ano, turma A.

VER AQUI NOTÍCIA DA CMA

terça-feira, 31 de maio de 2022

Assistentes de Biblioteca - Boas práticas

Podia ser uma paráfrase de Maria Velho da Costa, mas é tão-só uma descrição do papel singular dos Assistentes Operacionais das Bibliotecas Escolares.

Na sua maioria do sexo feminino, elas acolhem os alunos que chegam e pedem ajuda; elas desinfetam as mãos das crianças, depois de limpar e arrumar mesas e cadeiras; elas ajudam a aceder às estantes; elas indicam alguns livros nas prateleiras; elas ensinam a enviar um mail, a gravar um ficheiro, a formatar uma imagem. Elas contactam por telefone os professores à hora marcada para uma sessão com a professora bibliotecária. Elas passam informações sobre concursos, trabalhos, exposições.



Elas preparam cenários para atividades de leitura. E aí elas cortam e recortam papel e tecido; elas cosem e colam; elas montam exposições e objetos cénicos. Elas fotografam e gravam as sessões. Elas enviam fotos e vídeos por mail ou Whatsapp, para a PB publicar.



Elas registam e carimbam os livros. Elas colocam uma camada de fita-cola para proteção das lombadas. A professora bibliotecária cataloga. E elas fazem as etiquetas, colam-nas e colocam nova camada de fita-cola para proteção das etiquetas.

Elas reparam livros usados que ainda tenham conserto. Elas abatem no sistema os que lhes são indicados para tal.


Elas limpam as instalações e arrumam os livros nas estantes.

Elas chegam a horas.

Elas são solidárias uma com a outra, apoiam-se e elogiam-se mutuamente. Elas são solícitas e diligentes e põem os seus dons naturais e o seu saber ao serviço da Biblioteca Escolar.

Elas são requisitadas para outros serviços. Elas cumprem ordens com cordialidade. Elas organizam o trabalho e cooperam entre si.

Elas inteiram-se do serviço da BE e esforçam-se por responder. Elas são cordiais e cooperantes. Elas são disciplinadas e disciplinadoras.

Elas mantêm uma mente aberta e gostam de aprender.

Elas são boas discípulas e o braço direito da professora bibliotecária. Elas são os tentáculos que operam nos bastidores das atividades com os alunos e em alguns eixos do tratamento documental.

Elas são… elas são fundamentais.

 

Maria Carla Crespo,

Professora bibliotecária, 

Tributo às Assistentes de Biblioteca 

Senhorinha Salsinha e Deolinda Costa, 

Escola Básica D. António da Costa - 

Agrupamento de Escolas Emídio Navarro

março de 2022

sexta-feira, 27 de maio de 2022

Assistentes de Biblioteca - Partilha de uma Prática da BE da ESEN

 

Quando uma prática quotidiana é uma boa prática

Ao pensarmos em boas práticas imediatamente nos vem à ideia algo de diferente, excepcional e inovador.

Por isso, quando nos falaram sobre a possibilidade de escrever sobre uma boa prática relativa às assistentes da biblioteca escolar (BE), a minha primeira reação foi “não tenho nenhuma boa prática para partilhar”.

Só quando fui questionada por uma colega, também professora bibliotecária (PB) noutra escola do mesmo agrupamento, sobre se ia escrever algum texto e lhe respondi que não ia escrever nada, pois as(s) prática(s) da Assistente da BE onde estava eram comuns, apenas o trivial, aquelas que se esperaria que fossem asseguradas, refleti novamente sobre o assunto.

Foi aí que percebi que estava a incorrer num erro e que o que tinha pensado não prestava o valor devido à Assistente da BE da escola secundária com 3.º ciclo onde exerço funções, bem como à direção e à Assistente Operacional (AO) responsável (encarregada) das AO do agrupamento.

Afinal, estava a colocar a fasquia demasiado alta. Estar numa escola onde ”o esperado” é a prática habitual, era efetivamente uma prática de referência a partilhar.

Importa assim, referir, em primeiro lugar, um fator decisivo - a atribuição, por parte da direção, de uma Assistente à BE, a tempo inteiroque assegure o funcionamento da BE em todo o horário da escola (inicialmente das 8h às 18h e atualmente, devido à falta de AO, das 9h às 17h). Sem esquecer o esforço e o reconhecimento da necessidade, por parte da encarregada das AO no agrupamento, de ter sempre uma Assistente adstrita à BE e se possível com o perfil adequado. Seja isto numa escola como esta, de grande dimensão, com cerca de 1000 alunos ou noutra de menor dimensão.

De igual importância, a questão central deste testemunho, sem ela, a Assistente da BE que assegura os serviços que todos esperam e exigem, e sem o seu trabalho dito “normal”, a BE não funcionaria ou funcionaria de forma muito pouco eficiente e eficaz, sem prestar o devido serviço aos utilizadores que a frequentam regularmente ou a ela recorrem pontualmente.

O seu dia-a-dia e o seu trabalho diário está repleto e comporta imensas especificidades que uma AO de outro setor da escola não domina e por isso não consegue desenvolver nem executar (o que se verifica na hora de almoço quando outra AO assegura o serviço ou quando é necessária uma substituição). Exige capacidades, competências e conhecimentos específicos que foram sendo adquiridos, ao longo do exercício destas funções, através da prática diária e de formação quer formal (promovida e certificada por entidade externa) quer informal (prestada pelo PB).

A(O) assistente da biblioteca escolar não se limita a abrir e fechar portas e janelas, a ligar e a desligar equipamentos, a limpar e a arrumar materiais e espaços.

São várias as vertentes em que a Assistente de Biblioteca desta escola tem de atuar, opto por categorizá-las, grosso modo, de funcionamento, técnicas e de atendimento.

De facto as operações que denomino de operações de funcionamento prendem-se com questões de logística (permitir o acesso aos espaços e equipamentos, assegurar a segurança dos alunos e dos recursos, distribuir/entregar materiais, limpar, arrumar…) que podem ser desempenhadas por qualquer AO. No entanto, até neste aspeto a Assistente da BE faz mais - utiliza as ferramentas digitais na ótica do utilizador para registos diversos (não só para o preenchimento de grelhas como para a sua elaboração em word e excel), bem como software próprio para pagamento de serviços e a própria Internet, nomeadamente no que respeita à caixa de correio eletrónico criada para as impressões e às plataformas digitais de requisição e devolução de consumíveis.

Já as vertentes técnica e de atendimento inerentes a uma BE comportam tarefas com um nível de exigência que só alguns conseguem realizar.

Na vertente técnica, encontram-se todas as tarefas relacionadas com os equipamentos e recursos da BE (computadores, projetores, máquinas fotográficas digitais, calculadoras, fotocopiadora multifunções e fundo documental). Para cada um deles são necessários requisitos e know-how que muitos de nós não possuímos e que a Assistente desta BE domina para executar as tarefas diárias.

Neste âmbito, para além das tarefas de verificação de todos os equipamentos, de fotocopiar e imprimir, é de destacar o domínio que tem do tratamento técnico documental, começando no processo de entrada e registo de documentos, passando pela emissão de códigos de barra, cotação, recuperação e arrumação de documentos e terminando na utilização do software de gestão normalizada do fundo documental (Prisma nos módulos de pesquisa e de utilizadores) que permite à Assistente de Biblioteca efetuar o empréstimo automático e apoiar os utilizadores da BE.

Já no que se refere ao atendimento (que comporta uma dimensão relacional e até pedagógica) dá resposta a todas as solicitações diretas, entrega e recolhe materiais, gere e resolve problemas que possam ocorrer, apoia alunos e professores, até nas suas dúvidas ou dificuldades (explicando como devem fazer ou dando sugestões); tudo isto mantendo o ambiente desejável e propício a uma BE.

Todas estas dimensões numa só pessoa que as mobiliza todos os dias e, não raras vezes, em simultâneo para realizar a função de Assistente de Biblioteca Escolar.

Felizmente, nesta escola, todos contamos e temos como dado adquirido esta prestação de serviço por parte da Assistente de Biblioteca. Este desempenho que exigimos e consideramos banal, sem lhe darmos relevo nem importância (ainda bem que nos foi feita esta solicitação, pois reconheço agora que, por já ter aquilo que considerava que deveria ser o padrão, a norma, não lhe estava a reconhecer e a dar o devido valor). Esta assistente de biblioteca tem um rosto e um nome - Isabel Santos - e é o braço direito e uma peça fundamental da equipa da biblioteca.

É por tudo isto que tenho de concluir como iniciei, ao reconhecer/constatar que uma prática corrente pode ser uma boa prática, para salientar e afirmar com convicção que esta prestação de um(a) Assistente de Biblioteca, no contexto específico de uma BE, é de facto uma boa prática, mais, uma excelente prática, que não precisa de ser justificada nem conquistada, pois é aquela que, à partida, deveria ser contemplada e assegurada numa escola pública de qualidade.

Estou certa, sem qualquer pretensiosismo, que a comunidade escolar deste agrupamento só se pode sentir grata por este privilégio de fazer parte de um agrupamento em que o usual pode ser considerado uma boa prática.

Sara Cacela|PB coordenadora do AEEN

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Escola a Ler - QRCode à solta na ESEN


Os apontamentos de leitura expressiva, Palavras na minha voz,
 realizados pelas turmas do 10.º CT1 e CT2, em formato QRCode, no âmbito da iniciativa Escola Ler foram espalhados pelos diferentes espaços da ES Emídio Navarro para que todos possam usufruir dessas leituras.


Disfrutem!

Escola a Ler - Palavras na minha voz

No decorrer das atividades "Projeto pessoal de leitura" e "Livr'a mão", mais apontamento de leitura expressiva foram realizados pelos alunos das turmas do 10º CT1 e CT2, sob orientação da professora M.ª Manuel Paz de Português em articulação com a Biblioteca Escolar.

Mais leituras (as novas) podem ser ouvidas aqui, a partir do QRCode.